Enem 2020 adiado

A Primeira prova do Enem estava marcada para o dia 17 de janeiro de 2021 e a segunda prova para o dia 24 de janeiro do Próximo ano, uma semana depois. Ficou definido que o Exame será passada para Maio do ano de 2021.

Os resultados do Enem 2021 irão sair no mês de julho de 2021. Você deve se preparar estudando através de apostilas, cursos e demais vídeos gratuitos que abordam o que caiu ou será na tema na prova.

A nova data do Enem 2020

O Ministério da Educação divulgou ainda no mês de julho, o resultado da enquete oficial do Enem, feita na Página do Participante. Os números confirmaram exatamente os mesmos resultados das Pesquisas do Curso Enem Gratuito e da Enquete do Blog do Enem. As provas ficarão de acordo com a data com os que os inscritos pediram.

Mas, as novas datas marcadas pelo MEC, em janeiro e fevereiro, contrariam a vontade dos estudantes, que votaram, em sua maioria, para a realização das provas em maio de 2021. Saiba mais sobre a enquete a seguir.

Pela enquete do MEC 49,7% dos inscritos responderam que preferem as provas em maio; 35,3% em janeiro, e apenas 15% para dezembro. A Pesquisa foi feita através do Curso ENEM gratuito e por lá que os resultados foram divulgados.

Foram realizadas duas pesquisas independentes agora em junho, ambas com resultados semelhantes. A Pesquisa feita pela Hoper Educação com os alunos do Curso Enem Gratuito, e a Enquete realizada pelo Blog do Enem mostraram que maior parte dos candidatos prefere mesmo fazer o Enem no ano que vem, com maior votação para o mês de maio de 2021.

Os dois levantamentos de opinião consideraram como alternativas as possíveis datas para que fosse realizado o Enem 2020, indicadas pelo MEC e pelo INEP.

A enquete que definiu o que os estudantes acharam sobre o adiamento

A enquete recebeu um pouco mais de 1000 mil respostas. Quase um 86% se manifestou para o adiamento do Enem em 2020, em vista da pandemia de COVID-19. Apenas 14,1% que foi contrário ao adiamento da prova.

Quanto a melhor opção para a realização da prova, os estudantes votarão em46,5% para o mês de maio de 2021, enquanto que outros 35,7% queriam a prova no mês de Janeiro de 2021.

A grande campanha pelo adiamento do Enem em 2020

Desde o mês de março, as aulas presenciais foram interrompidas nas escolas do Brasil inteiro, por conta da pandemia de COVID-19 e prejudicando alunos tanto da rede pública e privada, mas principalmente os primeiros.

As soluções encontradas para dar continuidade às aulas virtualmente variam a cada estado, sendo que em alguns as aulas ainda não voltaram. Porém essa não foi a solução que mais agradou e ajudou aos estudantes, visto que muitos estavam no último ano do Ensino Médio.

Esse contexto levou estudantes a pleitearem ao governo o adiamento do Enem 2020, uma vez que estudantes da rede pública e de baixa renda não têm condições de estudos adequadas durante a quarentena. A luta estudantil teve adesão de entidades da sociedade civil, parlamentares e celebridades. E A Internet foi usada por muitos jovens, como em redes sociais como Twitter, através da hashtag #AdiaEnem2020.

Apesar da grande repercussão da campanha, o Inep e o Ministério da Educação até hoje se manifestavam contrários ao adiamento do Enem 2020. As autoridades sustentavam que os processos seletivos já dispõem de mecanismos de combate à desigualdade, como as cotas, e que a alteração do cronograma do Enem não seria eficaz. Além disso, o INEP entendia que ainda era muito cedo para decidir sobre um adiamento da Prova.

O debate sobre o adiamento do Enem 2020 chegou ao Congresso Nacional. Ontem (19/05/2020), o Senado aprovou um projeto que adia as provas e, depois disso, a votação seguirá para a Câmara dos Deputados. O projeto agora passa para o Presidente da República Jair Bolsonaro, que irá decidir se irá ou não sancionar a lei.

O adiamento tende a ser benefício para todos os alunos, que agora tem ainda mais tempo para se preparar e garantir aquela tão sonhada Bolsa de Estudos. A nota do ENEM pode ser usada no SISU (Universidades Federais) ou pelo Prouni (Universidades Privadas).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *